o meu pkm (personal knowledge management) estrutura o meu fluxo de ideias e aprendizados - como receber, processar, organizar e guardar uma informação. esse sistema é vivo e evolui conforme minhas necessidades e novos aprendizados sobre o tema.

um pkm resolve um combo frustrante de problemas: pilhas de anotações de cursos que só fazem sentido na hora que são escritas, esquecer como um problema é resolvido, não lembrar onde guardou alguma informação importante, reescrever linhas e linhas de código sem necessidade… ter um sistema bem definido libera espaço de processamento mental, reduzindo o stress e me permitindo focar na informação


princípios

1. manter um diário público de aprendizados

aprender em público é a forma mais rápida de se aprender algo. escrever notas com a intenção de serem lidas depois melhora a qualidade delas, pois existe intenção e preocupação: transformar o conteúdo que você consome em conteúdo que você cria.

2. catalogar problemas e soluções

como desenvolvedora, é comum passar muito tempo configurando um recurso, ou desenvolvendo uma solução, e depois passar meses sem precisar mexer naquilo de novo. quando chega o momento de dar alguma manutenção, ou replicar o que fez em outro contexto, é importante ter todo o troubleshooting registrado, como um stackoverflow pessoal.

3. conectar ideias

a frase “mas por que aprender isso?” é proibida. não existe conhecimento inútil. ideias se conectam, e conhecimentos estabelecidos dão suporte para enriquecer novos aprendizados. não existe especialista que não consegue ter um entendimento macro daquilo que faz: é preciso conhecer diferentes conceitos e aplicações, saber um pouco de tudo aquilo que permeia o que você faz.

4. deixar germinar

nada é definitivo e não há problema em se corrigir, procurar fontes controversas ou publicar algo incompleto. ideias se transformam com o tempo. notas podem - e devem - ser publicadas sem estarem perfeitas.


o fluxo da informação

🌱semente

anotações soltas, pensamentos e ideias. umasemente pode ser feita de notas de um workshop, uma ideia que tive enquanto estava fazendo outra coisa, um trecho de algo que li e quero pesquisar mais… uma semente é plantada e depois deve ser cultivada.

🪴planta

uma semente, depois de cultivada, vai tomando forma. começo a aprofundar a pesquisa, trago uma fonte nova, escrevo meu ponto de vista sobre. aplanta é uma fase intermediária onde o que é escrito começa a madurecer.

🌳árvore

umaárvore é o mais próximo de permanente que uma nota pode chegar (pensando que nada é exatamente permanente e poder ser revisado sempre que necessário). uma nota que amadureceu, foi alimentada com fontes, pesquisada e reescrita até que eu esteja satisfeita com a forma como ela aborda um assunto.

outros

🧺 vaso

uma nota vazia é umvaso, criada para receber um conteúdo que gostaria de trazer para cá, mas ainda não tenho nada anotado. funciona como um lembrete de uma semente que precisa ser plantada.

🍎fruto

nem toda árvore precisa dar frutos, mas caso um assunto renda um post de blog, um projeto ou algo do tipo, essefruto deve ser linkado à árvore que o originou.

🐝 pólen

livros, textos, artigos lidos que podem polinizar meu jardim, enriquecendo meus conhecimentos e anotações.pólen são notas sobre um conteúdo específico, não fazem parte do fluxo diretamente.


ferramentas

  • obsidian: onde centralizo todo meu conhecimento. é uma ferramenta poderosa que processa arquivos markdown e organiza notas por meio de links entre páginas, gráficos de conexões e plugins que trazem ainda mais funcionalidades.
  • syncthing: para sincronizar meus arquivos do obsidian entre dispositivos.
  • quartz: para publicar minhas notas do obsidian, utilizo este gerador de sites estáticos que transforma arquivos markdown em sites funcionais.
  • github pages: para hospedar tudo isso. como minhas notas ficam guardadas no github, posso utilizar o versionamento para verificar o histórico delas e como evoluíram.
  • aws route 53: gerenciamento de DNS
  • aws certificate manager: certificado SSL/TLS